Fuga de corrente:como identificar e eliminar esse problema?

A fuga de corrente é um problema comum e que pode causar diversos danos, desde pequenos choques até acidentes graves. De acordo com o Industrial Power System Grounding Desing Handbook, cerca de 95% das falhas elétricas são provocadas por correntes de fuga, ou seja, falhas entre fase/terra,e somente 5% são ocasionadas por falhas entre fase/fase.

Este problema geralmente ocorre pela degradação, muitas vezes nos próprios equipamentos elétricos, mas também são frequentes na instalação elétrica em virtude de, por exemplo, fios que podem estar desencapados, com a isolação ressecada ou expostos a agentes corrosivos. As consequências de uma corrente de fuga podem ser graves e gerar danos irreversíveis.

Para evitar este tipo de transtorno, é necessário usar os instrumentos certos para supervisionar e proteger os circuitos e detectar a fuga de corrente preventivamente, quando seu potencial de dano ainda é pequeno. Com a rápida detecção do problema,é possível descobrir quais componentes estão causando a fuga e agir para resolver a situação antes de qualquer consequência mais grave.

Quer entender melhor o que é fuga de corrente e o que fazer para detectá-la? Confira nosso conteúdo! Veja os tópicos que iremos abordar:

  • O que é fuga de corrente?
  • Quais os prejuízos que a fuga de corrente pode trazer?
  • Como identificar a fuga de energia?
  • Como eliminar a fuga de corrente?
  • O parceiro ideal da sua instalação elétrica

O que é fuga de corrente?

A fuga de corrente é um fluxo de energia indesejado – e inesperado –  que “foge” de fios e condutores por causa de uma baixa isolação. O incidente pode ser comparado a um vazamento, pois consiste no gasto involuntário de alguma matéria-prima que, neste caso, é a eletricidade.

Um exemplo simples de fuga de energia é quando o fio de uma geladeira – ou qualquer outro aparelho – está desencapado ou isolado de forma errada. Essa má instalação faz com que existam brechas por onde as correntes elétricas possam escapar e, como consequência, tocar nessa geladeira pode dar choque.

Tecnicamente, uma fuga de corrente ocorre porque a eletricidade sempre busca todos os caminhos possíveis para fechar o seu circuito, se dividindo proporcionalmente às resistências que existem para que isso ocorra. Assim, quando por algum motivo a isolação diminuir, a eletricidade irá “escapar” por essa falha, pois existirá um outro caminho para circulação da corrente. Quanto mais baixo o valor da resistência (menor isolação), mais alta a intensidade dessa corrente e mais nociva ao sistema elétrico.

Quais os prejuízos que a fuga de corrente pode trazer?

 

A corrente de fuga pode desencadear diversos problemas. O primeiro, e mais óbvio, é que o circuito elétrico com tal falha irá consumir mais energia que o normal. Nas empresas isso pode custar caro e atrapalhar o desenvolvimento dos negócios.

No entanto, os riscos mais sérios para o caso de uma corrente de fuga são os relacionados ao que chamaremos de danos. Danos aos equipamentos, danos a instalação, danos a produção e, em casos extremos, mas infelizmente comuns, danos a vidas.

Isso porque, ao escapar pela baixa resistência a corrente de fuga poderá, por exemplo, passar por uma importante máquina de uma fábrica de medicamentos, causando a perda da máquina e, eventualmente, de toda a produção do remédio que estava ali em andamento.

Sabemos que incêndios, explosões, queimaduras e choques elétricos precisam de diversas atitudes proativas para serem evitados. É por isso que empresas investem tanto em manutenção, treinamento, qualidade dos equipamentos e serviços. Porém, mesmo assim, de acordo com levantamento feito pela ABRACOPEL,os choques elétricos foram responsáveis por 622 mortes só em 2018.

Isso representa um número muito alto de vidas que poderiam ser salvas com precauções básicas, como manutenções frequentes em toda a rede elétrica ou, se o sistema for mais complexo, com a instalação de supervisores de isolamento que identifiquem possíveis fugas de corrente antes que elas causem problemas mais sérios.

Como identificar a fuga de corrente?

Em instalações que podem ser desligadas abruptamente, sem prévio aviso, uma ferramenta de proteção em caso de corrente de fuga é o Disjuntor Diferencial Residual, ou simplesmente DR. Com a instalação do DR, ocorrendo uma corrente de fuga, o sistema será desarmado, parando o fluxo de energia e evitando danos. É fundamental para uma proteção eficiente o uso do DR adequado, sempre verificando a característica da carga.

Com o sistema desarmado, deverá ser identificado o local da falha manualmente. Esse trabalho sempre deve ser feito por técnicos, utilizando os equipamentos de segurança necessários. Com a localização da falha e correção da fuga, o sistema poderá ser religado.

No entanto, em ambientes que não podem parar abruptamente ou nos que as paradas imprevisíveis gerem prejuízo, a solução encontrada pelo DR não é viável. Esse é o caso, por exemplo, de indústrias e datacenters.  Nesses ambientes, a corrente de fuga deve ser localizada com rapidez antes de causar dano e, preferencialmente, sem desarmar o sistema.

Para esses casos, o ideal é uma solução de supervisão constante da corrente de fuga. Com a supervisão, o sistema é ininterruptamente analisado, a fim de identificar qualquer falha antes de ela ser capaz de causar dano.

Como funciona a supervisão da corrente de fuga?

Basicamente, a supervisão é o trabalho de acompanhamento 24horas para evitar que pequenas falhas na instalação elétrica se tornem problemas graves. Esse trabalho é feito por um instrumento que chamamos de DSCR (Dispositivo Supervisor de Corrente Residual).

Com ele, é possível fazer uma manutenção preditiva pois todo o sistema é monitorado e são colhidas todas as informações necessárias sobre o isolamento elétrico, medindo as correntes de fuga quando ainda possuem valores muito baixos. Com essas medidas, é possível verificar a tendência do seu aumento e programar a manutenção de acordo com a necessidade, garantindo a proteção, sem paradas intempestivas.

Mesmo com a supervisão feita pelo DSCR, diante de todos os riscos envolvidos, é muito importante que a localização do local onde está ocorrendo a fuga de corrente seja feita rapidamente. Em outras palavras, não basta saber que existe um vazamento que precisa ser reparado, em alguns casos é preciso identificar o local do vazamento com a maior velocidade possível.

Para isso, existem equipamentos capazes de localizar automaticamente a fuga de corrente. A localização automática faz com que os profissionais responsáveis possam agir na raiz do problema, economizando tempo e recursos.

O lema para locais críticos sempre deve ser: supervisionar, localizar para não desarmar!

O parceiro ideal da sua instalação elétrica

A RDI BENDER tem todos os requisitos necessários para atender sua empresa, afinal, é a única fornecedora no Brasil que possui uma gama completa de dispositivos e sistemas para medição, supervisão e localização de falhas de isolamento em máquinas e instalações.

Possuímos os instrumentos mais indicados para todas as fases do acompanhamento das fugas de corrente: da supervisão a localização – além de aparelhos adicionais que agregam ainda mais eficiência às nossas soluções e serviços.

Além disso, nossos equipamentos podem ser instalados em todos os ramos de atividade que não podem ter sua operação interrompida, como:

  • Plataformas de petróleo
  • Hospitais;
  • Parques eólicos ou solares;
  • Qualquer outro lugar em que o fornecimento de energia precisa ser monitorado para evitar paradas, acidentes ou danos materiais.

Por todos esses motivos, estamos preparados para identificar e resolver quaisquer tipos de problemas relacionados a fugas de energia.

Entre em contato e veja como podemos manter a segurança e a eficiência da instalação elétrica da sua empresa. Conte com a gente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *