Sistema IT Médico

A SEGURANÇA DO PACIENTE E A PREVENÇÃO DE DANOS AOS EQUIPAMENTOS ELETROMÉDICOS

 

O Sistema IT Médico é o único capaz de prever falhas elétricas antes que estas sejam capazes de danificar equipamentos eletromédicos ou de causar acidentes a pacientes e equipe médica.

Para as instalações elétricas em locais médicos do Grupo 2 há exigências específicas a serem seguidas, pois são nestes ambientes que pacientes e equipe médica estão em contato direto com equipamentos eletromédicos para, por exemplo, procedimentos intracardíacos, cirúrgicos e de sustentação de vida.

 

QUAIS SÃO OS LOCAIS MÉDICOS DE GRUPO 2?

Os Locais Médicos são assim divididos:

De acordo com a RDC 50/20 os locais médicos do Grupo 2 são:

Urgência (alta complexidade) e Emergência:

  • Sala de procedimentos invasivos, de emergências (politraumatismo, parada cardíaca)

Internação intensiva (UTI):

  • Áreas e quartos de pacientes
  • Posto de enfermagem: se tiver central de monitoração do mesmo tipo dos locais dos pacientes para evitar interferências;

Imagenologia:

  • Hemodinâmica

Centro cirúrgico:

  • Sala de indução anestésica (principalmente se forem utilizados gases anestésicos inflamáveis)
  • Salas de cirurgia (não importando o porte)
  • Sala de recuperação pós-anestésica (se possuir equipamento de sustentação de vida)

Centro obstétrico cirúrgico:

  • Sala de parto cirúrgico

Nestes ambientes, o local onde se encontra o paciente deve ser provido de instalação elétrica diferenciada das demais e com sistema de monitoramento e sinalização que permita à equipe médica ser informada quanto às suas condições de segurança elétrica.

 

A INSTALAÇÃO DE SISTEMA IT MÉDICO EM LOCAIS MÉDICO DO GRUPO 2 É REQUERIDA POR ALGUMA NORMA?

Sim, a falta de um Sistema IT Médico adequado nesses locais médicos pode causar até mesmo o óbito de pacientes, por isso a sua instalação é normativamente requerida.

É possível verificar a exigência da instalação do Sistema IT Médico, nas seguintes normas:

  • RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002 – Dispõe acerca do regulamento técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde (EAS).
  • RDC nº 51, de 6 de outubro de 2011 – Dispõe acerca dos requisitos mínimos para a análise, avaliação e aprovação dos projetos físicos de estabelecimentos de saúde no Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS) e dá outras providências.
  • ABNT NBR 13534:2008 – Instalações elétricas de baixa tensão – Requisitos específicos para instalação em estabelecimentos assistenciais de saúde.

 

QUAIS OS RISCOS ELÉTRICOS EM LOCAIS MÉDICOS DO GRUPO 2?

Sem a presença do Sistema IT Médico, uma corrente de fuga à terra ou à massa possa causar:

  • Microchoque (em procedimentos intracardíacos podem ser fatais);
  • Choque elétrico;
  • Queimaduras;
  • Paradas intempestivas de equipamentos eletromédicos e de sustentação da vida de pacientes, por exemplo, aqueles internados em UTIs;
  • Desligamentos intempestivos dos disjuntores que alimentam os equipamentos eletromédicos de sustentação e monitoração de vida nos ambientes Grupo 2.

Se por um lado uma sala cirúrgica ou uma UTI são os ambientes mais sofisticados em termos de equipamentos médicos, a presença de gases medicinais, soluções fisiológicas, sangue e saneantes expõe suas instalações elétricas e equipamentos a uma invisível, agressiva e progressiva degradação do isolamento elétrico de seus componentes.

Adicione-se a isto o fato de que nestes locais o paciente pode estar sedado, sem controle de suas reações instintivas ou sem a pele, sua maior proteção natural contra choque elétrico.

Uma falta de isolamento nestes locais, sem uma instalação correta, permite que uma corrente de fuga passeie livremente até encontrar sua vítima, que pode ser um paciente ou um membro da equipe médica, provocando a interrupção de procedimentos, lesões com graves sequelas ou até a morte.

 

COMO DEVE SER A INSTALAÇÃO ELÉTRICA EM LOCAIS MÉDICOS DO GRUPO 2?

Em locais médicos classificados como Grupo 2, ambiente do paciente, a ABNT NBR 13534:2008 exige a adoção de esquema de aterramento IT. Exceções a essa regra são os circuitos de alimentação de mesas cirúrgicas, equipamentos de raios-X, equipamentos de grande porte (> 5kVA) ou elétricos não associados à sustentação da vida, os quais deverão ser ligados no sistema comum e protegidos por DR.

No esquema de aterramento IT não existe qualquer ponto da alimentação aterrado, nem mesmo o neutro.

O aterramento tem a concepção técnica de isolar as partes vivas da terra gerando um fornecimento de energia isolado para os equipamentos eletromédicos. Esse aterramento isolado garante que uma primeira falta à terra ou à massa seja de baixa intensidade e, assim, incapaz de gerar implicações para pacientes, equipe médica ou equipamentos.

A norma exige ao menos um Sistema IT Médico exclusivo para cada conjunto de locais destinados à mesma função.

Por questões de segurança, recomenda-se um Sistema IT Médico para cada sala cirúrgica, a fim de viabilizar a localização da falha.

Já em UTI, o número de leitos supervisionados por cada Sistema IT Médico dependerá o limite de potência do Transformador de Separação, que em nenhuma hipótese poderá exceder 10 kVA.

 

 

O QUE COMPÕE O SISTEMA IT MÉDICO?

 

TRANSFORMADOR DE SEPARAÇÃO: ISOLAMENTO

Um nível máximo de segurança é exigido em relação ao isolamento do paciente em procedimentos cirúrgicos e de sustentação de vida. O mesmo se aplica em relação à qualidade da energia dos equipamentos a este conectados.

Para garantir um aterramento IT, é necessário 1 transformador de separação para alimentar, com energia isolada da terra, os equipamentos de 1 local médico. Isso significa que o transformador isola a alimentação desses equipamentos de todos os outros circuitos do estabelecimento de saúde e de todos os outros circuitos do próprio local para os quais não é exigido um aterramento diferenciado.

 

DSI E ANUNCIADOR: MONITORAMENTO PERMANENTE

 O DSI exclusivo para Sistema IT Médico é o dispositivo que supervisiona permanentemente a condição da instalação quanto a sua segurança.

O anunciador dispara um alarme assim que a resistência de isolamento monitorada pelo DSI estiver abaixo do ajustado ou no máximo quando esta atingir 50 K Ω.

Detectada a falta de isolamento, esta deve ser localizada e eliminada o mais breve possível para que uma segunda falta não provoque o desligamento automático do circuito por um dispositivo de proteção.

Alguns sistemas de última geração são capazes de indicar automaticamente em qual circuito está a falta de isolamento, facilitando o trabalho da equipe responsável por corrigi-la. Descubra as vantagens de se ter um Sistema IT Médico com localização automática de falhas clicando aqui.

 

PAINEL ELÉTRICO:

A fim de acondicionar os equipamentos que fazem parte do Sistema, RDI BENDER monta seus Sistemas IT Médicos em quadros de embutir ou sobrepor que se adequam às necessidades do cliente.

Seja para SISTEMA IT BÁSICO ou SISTEMA IT COM LOCALIZAÇÃO, a RDI BENDER está preparada para fornecer aos seus clientes o sistema que melhor se adeque em seu projeto e orçamento.